Tipos de Encadernação Artesanal: Como Fazer, Materiais E Mais! 2023

Índice

Por que existem tantos modelos de encadernação artesanal?

1xbet

A encadernação artesanal existe desde o Império Romano e, ao longo dos séculos, foi modificada e aprimorada por diversas culturas: cada uma deu à encadernação diferentes técnicas e especificidades, baseadas nas necessidades específicas de cada povo.

Dessa maneira, hoje dispomos de diferentes e numerosas técnicas de encadernação artesanal, com diferentes acabamentos e graus de dificuldade. Confira neste artigo, as técnicas de encadernação mais famosas e outros detalhes sobre esse tipo de artesanato.

1xbet

Sobre a encadernação artesanal

A encadernação artesanal é uma técnica muito antiga e estreitamente vinculada à história e cultura da humanidade – afinal, foi para juntar e preservar uma série de escritos e documentos históricos que surgiu a encadernação.

1xbet

Apesar de sua importância, a encadernação costuma ser vista como apenas um artesanato e sua história é, muitas vezes, esquecida. Descubra, abaixo, mais detalhes sobre essa arte tão importante para a humanidade.

■Origem da encadernação artesanal

A encadernação artesanal tem sua origem vinculada aos códices que, no Império Romano, possuíam um formato muito próximo aos livros atuais. Inicialmente, os textos escritos em papel costumavam ocupar somente uma folha, como acontecia com os papiros egípcios.

No entanto, esse formato era prejudicial para conservar textos mais extensos, uma vez que os pergaminhos mais compridos acabavam amassados e suas superfícies se tornavam difíceis de escrever.

Para conservar o papel, então, passou-se a usar duas tabuletas em cada extremidade do pergaminho que, mais tarde, começaram a ser cobertas com couro – essas tabuletas, por sua vez, deram origem às atuais lombadas.

A arte da encadernação teve seu desenvolvimento acelerado a partir do período medieval, em que a técnica passou a ser de domínio exclusivo dos mosteiros e abadias para a confecção de livros sagrados. Posteriormente, a encadernação foi aperfeiçoada pelos renascentistas italianos, que deram aos livros e cadernos um aspecto mais leve e sofisticado.

■Materiais utilizados

Para quem deseja iniciar a produção de encadernações artesanais, alguns itens são essenciais: papéis variados e de boa qualidade – incluindo algum papel paraná ou acartonado de alta gramatura, para a confecção da capa -, fios encerados, agulha e cola branca. Para aprimorar a parte estética, é possível utilizar tecidos de algodão ou autocolantes, fitas, rendas e adesivos.

Para realizar a encadernação com mais facilidade, também é recomendado utilizar uma base de corte, gabaritos – réguas que facilitam as marcações -, pincéis para cola, estiletes, guias para encadernação e o fio de cabelo – uma ferramenta que, com formato triangular, facilita a confecção das bordas do caderno.

■Diferenças entre a encadernação artesanal e industrial

Assim como outros tipos de produções massificadas, a encadernação industrial conta com o uso de maquinário e tecnologia que, apesar de garantir a qualidade e a padronização da encadernação, pecam na hora de investir em detalhes e diversidade dos produtos.

Por outro lado, a encadernação artesanal tem como ponto forte a possibilidade de investir nos detalhes, em técnicas exclusivamente manuais e na personalização da peça, que é única e varia de artesã para artesã, de confecção para confecção.

■Encadernação artesanal no comércio

Atualmente, a encadernação artesanal está sendo cada vez mais valorizada por consumidores que buscam produtos artesanais, personalizados e estéticamente agradáveis, em movimento contrário à tendência de industrialização e produção em massa da sociedade atual.

Se antes a encadernação artesanal era feita pela necessidade de guardar e preservar os escritos, hoje a preocupação está centrada na estética e na exclusividade do produto – afinal, essas qualidades diferenciam o formato artesanal dos modelos industriais e dos métodos digitais para armazenar textos escritos.

Além disso, a demanda para a produção de artigos encadernados não se resume, somente, à pequenas feiras de artesanato: a encadernação também é muito requisitada, por exemplo, por eventos, festas, casamentos, aniversários e outros eventos ou empresas que procuram um artesão para confeccionar livros de assinaturas ou pequenos brindes para os seus convidados.

Tipos de encadernação artesanal

As diferentes técnicas de encadernação presentes nas diferentes culturas e nos diferentes períodos históricos deram origem a uma vasta gama de métodos para a confecção de produtos encadernados. A seguir, confira os tipos mais comuns de encadernação artesanal e suas especificidades.

■Encadernação Longstitch

A encadernação Longstitch é caracterizada por uma costura longitudinal, que começa no miolo e vai até as extremidades da peça. Nesse tipo de encadernação, a costura perpassa tanto o papel, quanto a capa, ficando visível no exterior do caderno. Dessa forma, além de contar com o lindo desenho da costura, esse tipo de encadernação não necessita de cola.

A técnica Longstitch é uma das mais utilizadas para a confecção de álbuns de fotografias e blocos de notas. Além disso, ela pode ser uma boa técnica para iniciantes na arte da encadernação pois, uma vez que não necessita de cola, as chances de fazer muita sujeira são menores.

■Encadernação Brochura

Também utilizada na encadernação industrial, a técnica de Brochura é uma das formas mais rápidas e práticas de se encadernar papéis: ela consiste em uma costura reta e longitudinal, muito semelhante à que vemos nos cadernos de brochura industrializados.

Uma boa ferramenta para facilitar a confecção de cadernos com essa técnica é o guia de encadernação, que facilita o processo de furar o papel de maneira simétrica e equidistante. Por ser muito intuitiva, a brochura também é uma técnica recomendada para iniciantes.

■Encadernação Japonesa

Como aponta o nome, essa técnica de encadernação tem origem japonesa e confere uma estética única às peças, uma vez que esse método conta com uma variedade enorme de pontos e padrões usados na encadernação. Dessa forma, a lombada de cada caderno pode ser decorada com um padrão diferente.

Uma outra especificidade dessa técnica é que, nela, não se dobra as folhas na hora de costurar – dessa forma, ela pode ser mais fácil para quem sente dificuldade nas dobraduras. Por ser versátil, o método também oferece diversos graus de complexidade, a depender dos pontos utilizados.

■Encadernação Japonesa com Fita

A encadernação Japonesa com fita segue os mesmos princípios da tradicional, com a diferença de que usa fitas – especialmente de cetim – para costurar o miolo e a capa. Como o resultado costuma ser muito delicado, essa técnica é especialmente utilizada em cadernos e álbuns de fotografia infantis.

Os dois tipos de encadernação japonesa são indicados para quem deseja uma aparência única e delicada; no entanto, é importante notar que esse método de encadernação é mais recomendado para lombadas finas.

■Encadernação Belga Secreta ou Criss-Cross

A técnica de encadernação Belga ou Criss Cross consiste em uma costura que une o miolo com a capa, contracapa e lombada – assim, apesar de cada parte ser feita individualmente, a costura passa a impressão de que o caderno ou livro é feito de uma peça só. Outra vantagem desse tipo de encadernação é que ele permite a abertura do material em 180 graus.

Dessa forma, essa técnica permite um uso mais versátil de materiais para a confecção da capa: ela pode ser feita de madeira, acrílico, plástico ou outros materiais. A encadernação Belga Secreta costuma ser utilizada em álbuns de fotografia ou cadernos de assinaturas para eventos, uma vez que traz um ar sofisticado e elegante.

■Encadernação Bradel

A encadernação Bradel pode ser considerada uma variação do estilo Longstitch, por estas serem duas técnicas muito similares. Nesse tipo de encadernação, a costura une o miolo e lombada, aparecendo na parte externa do caderno ou livro.

A grande diferença entre a encadernação Bradel e a Longstitch é que a primeira não deixa o miolo aparente na lombada do caderno. Dessa forma, é possível variar o desenho da costura: ela pode ser tanto reta, quanto cruzada, deixando um desenho losangular no exterior da peça.

■Encadernação Copta

De origem egípcia, a encadernação Copta é muito versátil: essa técnica pode ser utilizada tanto para unir cadernos pequenos, quanto para realizar encadernações de peças maiores. Esse método consiste na junção, página por página, do miolo com a capa, resultando em uma costura trançada que cria linhas verticais ao longo da lombada.

Além de ser funcional, a encadernação Copta também fornece um resultado estético muito agradável e decorativo, uma vez que todo o miolo fica aparente na lombada. Criada pelos egípcios para proteger os livros sagrados, essa técnica também continua oferecendo um acabamento muito resistente à peça, fruto de seu trançado único.

■Encadernação Diamond

A encadernação Diamond ou Diamante é muito similar aos métodos Longstitch e Bradel, na medida em que essa técnica também consiste na junção do miolo e da capa com uma costura que fica aparente na lombada do caderno ou livro.

O grande diferencial dessa técnica está na na costura que, aparente na lombada, forma um padrão losangular que lembra um diamante. Dessa forma, esse tipo de encadernação possui um resultado estético e decorativo muito diferenciado, podendo ser utilizado para a confecção de cadernos em couro, por exemplo.

■Encadernação Leporello ou Sanfonada

Talvez o método mais inusitado desta lista, a encadernação Sanfonada ou Leporello é a única que não utiliza costura ou linhas para juntar as folhas do caderno ou livro: semelhantes a uma sanfona, as peças criadas a partir da encadernação Leporello tem suas folhas unidas por dobras alternadas no papel, sem a utilização de ferragens ou costuras. O fecho costuma ser feito por uma fita, também responsável por decorar o projeto.

A técnica resulta em um projeto que dá a ilusão de ser composto por uma única e comprida folha. Por ser um método que permite uma boa visualização das páginas e resulta em peças com uma estrutura muito versátil, esse tipo de encadernação é muito usado em livros de fotografia ou mostruários de estamparias.

■Encadernação Skewer ou Espeto

A encadernação Skewer costuma chamar muita atenção por sua exoticidade: esse método consiste na união do miolo por um longo espeto, que pode ser feito de madeira ou metal. Além de seu aspecto decorativo, a encadernação Skewer também permite que as páginas do livro ou caderno se abram por mais de 180 graus, o que é muito interessante para a confecção de cadernos de mensagens ou assinaturas para festas.

Outra vantagem é que, após o uso, esse tipo de caderno pode ser desmontado e encadernado de forma permanente, com um acabamento mais resistente. Desta forma, essa técnica pode ser uma boa opção para livros de mensagens ou assinaturas de eventos como casamentos ou festas.

■Encadernação Romanesque ou Romanesca

O encadernamento à Romanesca ou Romanesque é muito similar a técnica de costura Diamond, uma vez que ele também é caracterizado por uma costura cruzada que atravessa a capa, unindo-a com o miolo.

A grande diferença é que, no modelo Romanesque, as linhas que formam o padrão losangular são mais compridas, formando uma espécie de “x” na lombada. Além disso, elas podem se cruzar no centro, resultando em um padrão curioso. Esse é um tipo simples de encadernação, que pode ser usado em álbuns, cadernos de mensagens ou diários.

■Encadernação Triple Chain ou Corrente Tripla

Com um aspecto estético muito particular e agradável, a encadernação Triple Chain ou Corrente Tripla consiste em um método que une a capa ao miolo do caderno através de uma costura tripartida que, para muitos, se parece com uma corrente ou um galho de árvores.

Esse é um tipo de encadernação que traz uma estética única para os cadernos – além da costura possuir um entrelace muito bonito, ela também pode ser feita utilizando fios de cores diferentes, que se mesclam para formar uma lombada ainda mais fascinante. A única limitação desse tipo de encadernação é que, devido a sua costura, ele só pode unir três conjuntos de folhas ou múltiplos de três.

■Encadernação Springback

A encadernação Springback é a que mais se aproxima dos cadernos de brochura industriais ou semi-industriais que encontramos no mercado. A sua principal característica é a costura embutida, que traz um aspecto mais minimalista para o caderno ou livro.

A costura embutida gera um espaço entre a lombada e o miolo, que garante uma flexibilidade total para o caderno – assim, ele é uma boa alternativa para quem deseja confeccionar um caderno próprio para desenhos ou anotações, por exemplo, que não fechará ao ser apoiado aberto em uma mesa.

Em contrapartida, a costura embutida também torna esse um dos mais complexos e avançados tipos de encadernação, uma vez que ele acaba exigindo materiais e técnicas próprias.

Existem muitos tipos de encadernação artesanal para aprender!

Agora que você já conhece algumas das principais técnicas de encadernação, é possível começar a aprender alguns métodos e confeccionar seus próprios cadernos ou livros: eles podem ser tanto uma boa opção de artesanato para vender e ter uma fonte de renda extra, quanto para presentear amigos, familiares ou a si mesmo – afinal, um caderno a mais nunca é demais!

Além disso, as técnicas de encadernação permitem a confecção de inúmeros projetos diferentes, para além de um simples caderno: agendas, planners, álbuns de fotos, cadernos temáticos, cardápios, bloquinhos de notas, livros de mensagens e assinaturas para festas e eventos são somente alguns exemplos de como a arte da encadernação pode ser extremamente funcional e versátil.

Gostou? Compartilha com a galera!

Yorum bırakın

E-posta hesabınız yayımlanmayacak.

Scroll to Top